comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

sábado, junho 14, 2008



Há demasiado ruído à minha volta...
Procurei o silêncio...
Fui ouvir o mar e ouvindo-o,
ouvi também As Palavras de Eugénio de Andrade...

AS PALAVRAS

São como cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

Eugénio de Andrade

7 Comments:

  • At 11:19 da tarde, Blogger Victor Oliveira Mateus said…

    Maria,

    obrigado pela sua visita à
    minha "dispersa palavra".
    Eu também gostei desta selecção,
    por isso fiz um link... é mais fácil.
    Um beijo (de lá)

     
  • At 11:35 da tarde, Blogger Dois Rios said…

    Maria,
    Basta procurar o silêncio nas ondas do mar para que a poesia encontre o seu lugar.
    Eugénio de Andrade faz das palavras uma imensidão de mar. Adoro esse poeta!
    Cheguei aqui de clique em clique e gostei do que vi. Vou voltar.
    Beijos,

     
  • At 11:36 da tarde, Blogger heretico said…

    beijo. as palavras "sofrem"...

    (quando não comunicam)

     
  • At 10:57 da tarde, Blogger Márcia said…

    saudade daqui, Maria. e de vc.
    um beijo bem grande daqui, onde é quase inverno.

     
  • At 2:37 da tarde, Blogger Maria Laura said…

    É tão belo esse poema de Eugénio de Andrade! Obrigada, Maria, pela tua visita à Cor do Silêncio.

     
  • At 11:08 da tarde, Blogger JPD said…

    Um beijinho pela bela escolha para esta edição.

     
  • At 10:39 da tarde, Blogger heretico said…

    beijos

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home