comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

sexta-feira, setembro 10, 2004

sininho.bmp


Não sou frequentadora de grandes superfícies por variadíssimas razões que não vou agora e aqui enumerar, mas sobretudo porque passado algum tempo de lá estar (vá-se lá saber porquê), me sinto enjoada e com enxaqueca. Por isso, vou lá apenas quando sei que só aí encontro algo de que precise mesmo e dificilmente encontrarei em outro lugar. Foi o que aconteceu hoje. Só que, e porque o que é mau por vezes tem também o seu lado bom, foi por ter estado hoje à tarde numa grande superfície e porque havia por lá imensas crianças, que dei comigo a pensar nas crianças "doentes" dos nossos dias, "doentes" com a nossa conivência, "doentes" por nossa culpa, com a nossa colaboração. É sabido que em todo o mundo há milhões de crianças doentes devido a inúmeras e variadas carências de toda a ordem, sobretudo de alimentos e cuidados básicos de saúde. Por essas crianças há muito e muito que fazer, é certo, como é certo ser nosso dever contribuir para que a fome e a doença virem sonho mau que já passou (e não é preciso ir muito longe, se calhar basta olhar com atenção a nossa rua, o nosso bairro a nossa cidade, não é?).
Mas, e as outras crianças? Sim, as outras crianças que também têm "fome" (e têm "tudo"), que também estão doentes e ninguém parece querer ver...
A quem me refiro?
Refiro-me às crianças a quem damos "tudo" e pronto a usar de preferência, que têm o quarto cheio de jogos e brinquedos que perderam o interesse em cinco minutos de brincadeira e agora jazem abandonados, acumulando ácaros e desencanto, pequenas sucatas na casa de cada um de nós...
Refiro-me às crianças a quem organizamos todos os lazeres com ginástica, natação, ballet, judo, tenis, música informática (muitas vezes em acumulação com actividades idênticas já constantes dos seus currículos escolares)...
Refiro-me às crianças a quem, em nome dum sucesso miragem que dizemos (e acreditamos) querer para nós e para elas, roubamos quotidiana e repetidamente a capacidade de imaginar, de construir por suas próprias mãos, de lutar para alcançar o que quer que seja (às vezes até o tempo de saborear o desejo, que é tão bom, nós lhe roubamos)...
Em contrapartida, oferecemos-lhes de mão beijada, e, umas vezes com um sorriso imbecil nos lábios, outras vezes distraídamente porque temos mais em que pensar, oferecemos-lhes, dizia eu, um doloroso e incomensurável tédio, um aborrecimento do tamanho do mundo...
Sim, talvez eu esteja a exagerar, mas não exagero se disser que foi esse enorme aborrecimento que li nos rostos de muitas das crianças que hoje observei num grande centro comercial... Crianças que mais me pareceram borboletas tristes... Foi e então que me vieram à ideia as palavras de Susana Tamaro no seu livro "O Fogo e o Vento":
"O aborrecimento é a bagagem que leva consigo quem se contenta com a superficialidade, a exterioridade. Quem acredita que existir é estar na plateia a assistir a um espectáculo sem sequer se dar ao trabalho de aplaudir. O aborrecimento não mata, mas envenena subtilmente, torna-nos inquietos, faz de nós vítimas de um movimento que não conduz a lado nenhum. Então, transformamo-nos em borboletas dos finais do Verão que se precipitam para qualquer fonte de luz como se fosse o sol e dançam à sua volta até morrerem, queimadas ou exaustas."
Pois é, por mim, a serem borboletas, que as nossas crianças sejam como as da Primavera, ágeis e coloridas, uma lição de vida viva...

(Para o que me havia de dar hoje, hem? Eu bem digo que as idas a grandes centros comerciais não me fazem nada bem...)

6 Comments:

  • At 4:39 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Maria também sou "alérgica" a centros comerciis e tudo o que escreveste concordo contigo, como já sabes:-) Beijos e bom fim de semana. wind

     
  • At 5:57 da tarde, Blogger M.P. said…

    Olá! Cá estou eu de novo. Concordo em ABSOLUTO com tudo o que dizes. Às crianças de hoje falta o espaço para sonharem e para serem aquilo que elas são : crianças! **

     
  • At 5:51 da tarde, Blogger maria said…

    Sim, Wind, "alergia" é mesmo a palavra certa... Beijinho, fica bem amiga...:))

     
  • At 5:52 da tarde, Blogger maria said…

    Penso que sim MP e interrogo-me muitas vezes sobre os possíveis custos que isso terá no futuro... Beijinho...:))

     
  • At 5:53 da tarde, Blogger maria said…

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

     
  • At 12:25 da manhã, Blogger inconformada said…

    Cheguei aqui por acaso, através de um comentário que deixaste no Mel no Frasco. E comento este texto por ser exactamente o que eu penso. Os centros comerciais cuja utilidade questiono muitas vezes (e pq é q não páram de aparecer cada vez mais ???) e as crianças a quem "roubámos" a infância, a liberdade, a criatividade e quantas vezes o prazer de "apenas" brincar. (Mas quando eu digo estas coisas respondem-me que não sei o que digo porque não tenho filhos...) Gostei do teu blog... Vou ainda ler mais umas coisitas :-)

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home