comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

domingo, maio 07, 2006


POEMA À MÃE

No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe.
Tudo porque já não sou
o menino adormecido
no fundo dos teus olhos.
Tudo porque tu ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.
Por isso, às vezes, as palavras que te digo
são duras, mãe,
e o nosso amor é infeliz.
Tudo porque perdi as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.
Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez não enchesses as horas de pesadelos.
Mas tu esqueceste muita coisa;
esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!
Olha - queres ouvir-me? -
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;
ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;
ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
no meio de um laranjal...
Mas - tu sabes - a noite é enorme,
e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber.
Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.
Boa noite. Eu vou com as aves.

Eugénio de Andrade



8 Comments:

  • At 11:48 da tarde, Blogger JPD said…

    Olá Maria!

    Bela escolha, a do Eugénio, para este dia.
    Bjs

     
  • At 12:48 da manhã, Blogger wind said…

    Um dos poemas mais belos de EA. beijos

     
  • At 5:25 da tarde, Blogger jorgesteves said…

    Um extraordinário poema do Eugénio de Andrade; uma escolha perfeita!
    jorgesteves

     
  • At 6:33 da tarde, Blogger Manel do Montado said…

    (...) Olha - queres ouvir-me? -
    às vezes ainda sou o menino
    que adormeceu nos teus olhos;(...)

    A minha mãe é tão linda coitadinha, receio o dia que vá e nunca mais lhe veja a ternura nos olhos, o gesto dócil de quem é bom.
    Parabéns pela homenagem às mães, esses exemplos do sacrifício familiar.
    Um beijo

     
  • At 9:26 da tarde, Blogger lique said…

    No meu antigo blog do Sapo, postei este poema (pela segunda vez, aliás). Parece-me um dos mais belos poemas de um filho adulto para a sua mãe. Está lá tudo!
    Beijinhos

     
  • At 2:46 da manhã, Anonymous batista filho said…

    Não conhecia. Agora conheço. Comoveu-me.
    Grato.

     
  • At 5:41 da tarde, Blogger philerickson8852643574 said…

    Get any Desired College Degree, In less then 2 weeks.

    Call this number now 24 hours a day 7 days a week (413) 208-3069

    Get these Degrees NOW!!!

    "BA", "BSc", "MA", "MSc", "MBA", "PHD",

    Get everything within 2 weeks.
    100% verifiable, this is a real deal

    Act now you owe it to your future.

    (413) 208-3069 call now 24 hours a day, 7 days a week.

     
  • At 11:46 da tarde, Anonymous Victor said…

    Não sei como vim aqui dar, mas dei e gostei, gostei da escolha dos poemas, e gostei de um gosto teu... pensava que pouca gente em Portugal tinha como referencia musical Patxi Andion... e por isso (e não só), escolho Eugénio... só para ti...


    "Hoje roubei todas as rosas dos jardins
    e cheguei ao pé de ti de mãos vazias"

    (e gosto muito de algum jazz)

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home