comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

quinta-feira, junho 15, 2006



A ARTE DE SER FELIZ

Houve um tempo em que minha janela
se abria sobre uma cidade que parecia
ser feita de giz. Perto da janela havia um
pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra
esfarelada, e o jardim parecia morto.
Mas, todas as manhãs vinha um pobre
com um balde e, em silêncio, ia atirando
com a mão umas gotas de água sobre
as plantas. Não era uma rega: era uma
espécie de aspersão ritual, para que o
jardim não morresse. E eu olhava para
as plantas, para o homem, para as gotas
de água que caíam de seus dedos
magros e meu coração ficava
completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o
jasmineiro em flor. Outras vezes
encontro nuvens espessas. Avisto
crianças que vão para a escola. Pardais
que pulam pelo muro. Gatos que abrem
e fecham os olhos, sonhando com
pardais. Borboletas brancas, duas a
duas, como reflectidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem
personagens de Lope de Vega. Às
vezes um galo canta. Às vezes um
avião passa. Tudo está certo, no seu
lugar, cumprindo o seu destino. E eu me
sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas
felicidades certas, que estão diante de
cada janela, uns dizem que essas coisas
não existem, outros que só existem
diante das minhas janelas, e outros,
finalmente, que é preciso aprender a
olhar, para poder vê-las assim.


Cecília de Meireles

5 Comments:

  • At 10:34 da tarde, Blogger wind said…

    Cada um vê e sente à sua maneira.
    É isso que nos transmite este belo poema de Cecília Meireles:)
    beijos

     
  • At 2:24 da manhã, Anonymous Bittersuite said…

    Vim paraquedar a este blog por causa de um espontaneo google de Holderlin, é bom ver a Cecília Meireles pescada assim em poemas bonitos. Obrigado Maria.
    Fiquei sem perceber no entanto porque é que dizes no teu perfil destesto Jazz & hipocrisia. É estranho!

     
  • At 2:56 da manhã, Anonymous Bittersuite said…

    i.e. n ficam bem as 2 coisas, se bem me entendes.. Como quem diz detesto a Clara & a Sida.. Acho que me entendeste :)

     
  • At 1:08 da tarde, Blogger fotArte said…

    Foi um consolo, voltar aqui de novo. Este poema tocou-me imenso. Pois muitas das vezes, sao em coisas pequenas que existem grandes felicidades.

    Uma boa semana

     
  • At 12:47 da manhã, Blogger Daniel Amaral said…

    Publiquei recentemente um podcast com esta poesia. Quero convidar todos para ouvir:

    http://dannylarama.blogspot.com/

    e um programa inteiramente dedicado a esta poetisa esplêndida:

    http://amorepoesia.podomatic.com/entry/2006-11-22T15_13_10-08_00

    Um abraço.

    Daniel

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home