comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

domingo, fevereiro 10, 2008



MARGINALIDADE

Subversivamente
o instinto me descomanda.

E a magia inconsciente
do meu corpo
é um jogo clandestino
de gestos sem eco.

Há um ritual divino
nas carícias sensuais
em que me invento.

Nada me torna inocente
dos meus próprios sentidos
quando solto
as linhas marginais
do pensamento
e me seduzo
com gostos proibidos.

Sempre são excessivos os desejos de quem sonha
a vida toda num momento.

A solidão é como o vento.

É nos olhos dos mendigos
que a noite se prolonga por mais tempo.

Graça Pires

3 Comments:

  • At 6:33 da tarde, Blogger Graça Pires said…

    Obrigada por divulgares. Um beijo.

     
  • At 7:12 da tarde, Blogger herético said…

    o poema mto belo. gosto muito das "linhas marginais do pensamento"...

    são de grande qualidade os poemas da Graça.

    beijos.

     
  • At 11:23 da manhã, Blogger Nilson Barcelli said…

    Um soberbo poema.
    Não sei quem é a Graça Pires, mas este poema revela uma poesia madura.

    Obrigado pela partilha.

    Bfs, beijinhos.

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home