comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

quarta-feira, fevereiro 07, 2007


REGRESSO

Sem mais nem menos
surgiu o passado,
corpo intranquilo
feito de sons semelhantes
aos rostos que amei,
universo donde me excluí,
mar desprovido de cais
na obliquidade dos contrastes.

Esta noite voltei à minha infância:
menina rosada de sonhos nos bolsos,
bailarina de corda na caixinha de som.

À infância regressa-se solitariamente,
subindo um rio sem margens,
até ao lugar em que a nascente
se confunde com o tempo
e o tempo se transforma em espanto.

Procuro, teimosamente,
o rasto da brisa
que me invade o corpo
e apenas sei que o sonho
é um risco inquietante,
quando a solidão tem rosto
e se conhece a posição das estrelas
no âmago das palavras.

Reinicio a infância
no esboço do poema
e circunscrevo o litoral
fragmentado do que sou.

Quem foi que descodificou
o céu no meu olhar
e me deixou na alma
um deus imaginado?

Quando o espaço do sonho é circular
como o tempo das cerejas,
ou da migração dos pássaros
que fendem o infinito,
inadiado é o rito da poesia.

Se eu fosse uma gaivota, dançaria
na proa dos veleiros
até à hipnose
de abraçar a maresia.

Graça Pires

10 Comments:

  • At 11:41 da tarde, Blogger wind said…

    Magnífico poema! beijos

     
  • At 12:55 da tarde, Blogger herético said…

    procuramos as estrelas no "âmago das palavras". e desenhamos o rosto da solidão. celebro este (teu)regresso. excelente. beijos

     
  • At 6:00 da tarde, Anonymous Amaral said…

    Belo o poema!
    Este regresso dissolve-se na imensidão do sentir que nos enche a alma...
    Regresso nos pormenores, em cada detalhe...

     
  • At 6:33 da tarde, Blogger vida de vidro said…

    "À infância regressa-se solitariamente". Verdade. Este é um poema belíssimo. Gosto de te saber regressada. :)**

     
  • At 10:57 da tarde, Blogger JPD said…

    Belo!
    Bjs

     
  • At 9:19 da manhã, Blogger Nilson Barcelli said…

    Não sei quem é a Graça Pires (serás tu?), mas o poema é magnífico.
    Há passagens belíssimas, por exemplo:
    "Esta noite voltei à minha infância:
    menina rosada de sonhos nos bolsos,
    bailarina de corda na caixinha de som."

    Bom fim-de-semana.
    Beijos.

     
  • At 1:12 da tarde, Anonymous Paula e Rui Lima said…

    Olá!

    Se gostas de cinema vem visitar-nos em

    www.paixoesedesejos.blogspot.com

    todos os dias falamos de um filme diferente

    Paula e Rui Lima

     
  • At 2:30 da tarde, Blogger herético said…

    beijo.

     
  • At 10:57 da tarde, Blogger Manel do Montado said…

    Boa escolha...excelente, soberba mesmo.
    Quem é a Graça Pires?
    Bj

     
  • At 12:03 da tarde, Anonymous Manuel said…

    O poema é, de facto, "magnífico", "belíssimo",
    "soberbo", ... Quanto a Graça Pires, poeta com vários livros publicados, e que venceu, entre outros, o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores, basta visitar o seu blog www.ortografiadoolhar.blogspot.com para conhecer a sensível e surpreendente polifonia do seu canto poético.

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home