comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

sábado, março 03, 2007



Não digas ao que vens. Deixa-me
adivinhar pelo pó nos teus cabelos
que vento te mandou. É longe a
tua casa? Dou-te a minha: leio nos
teus olhos o cansaço do dia que te
venceu; e, no teu rosto, as sombras
contam-me o resto da viagem. Anda,
vem repousar os martírios da estrada
nas curvas do meu corpo - é um
destino sem dor e sem memória. Tens
sede? Sobra da tarde apenas uma
fatia de laranja - morde-a na minha
boca sem pedires. Não, não me digas
quem és nem ao que vens. Decido eu.

Maria do Rosário Pedreira

18 Comments:

  • At 11:35 da tarde, Blogger wind said…

    Maravilha!:)
    beijos

     
  • At 11:24 da tarde, Blogger JPD said…

    A poesia da Rosário é extraordinária.

    As tuas escolhas mantêm um excelente critério.

    Como já visitaste «OSUORDABELHA» fico eternamente agradecido!

    Bjs

     
  • At 12:30 da manhã, Blogger MRA said…

    Olá. Gostei de ler e do sonho da casa de madeira...

    beijinhos

     
  • At 9:47 da manhã, Blogger Luís Galego said…

    confesso que a maria rosário pedreira tem sido uma boa surpresa minha....eu que convencido dos meus conhecimentos literários não conhecia a obra da poetisa...foi bom começar a manhã com este poema.

     
  • At 7:47 da tarde, Blogger Graça Pires said…

    Poema belíssimo, como são todos os da Maria Rosário Pedreira, autora que eu admiro muito e de quem tenho os livros todos. Foi uma escolha óptima.
    Um abraço

     
  • At 11:56 da tarde, Blogger herético said…

    beijo Maria. prazer grande partilhar as tuas escolhas...
    um belíssimo poema. mais um que nos ofereces

     
  • At 12:13 da manhã, Blogger david santos said…

    Olá!
    Tudo belo!
    Parabéns

     
  • At 12:14 da tarde, Blogger TINTA PERMANENTE said…

    Não venho nem vou: passo os passos do Acaso. Mas gostei dos passos que passei...

     
  • At 12:16 da tarde, Blogger vida de vidro said…

    Há uma tal delicadeza e feminilidade nos poemas de Maria do Rosário Pedreira que lê-los é um prazer enorme! **

     
  • At 3:32 da tarde, Blogger Amaral said…

    Neste dia da mulher, um beijo e uma flor!

     
  • At 4:21 da tarde, Blogger Manel do Montado said…

    Passei, li, reli e voltarei.
    Bj

     
  • At 4:55 da tarde, Blogger Nilson Barcelli said…

    Gosto da maneira como a Maria do Rosário Pedreira escreve.
    Parabéns pela tua escolha.
    Beijo.

     
  • At 10:13 da tarde, Blogger cacharel said…

    Parabêns pela selecção da poesia. Muito lindo este poema. Como tudo o que lemos e vemos aqui... :)

    Beijinho perfumado*

     
  • At 9:05 da tarde, Blogger herético said…

    beijo

     
  • At 3:00 da tarde, Anonymous Márcia said…

    que maravilha, maria! nesse vou roubar pra mim. ;)
    beijo grande desse outono que jura ser verão.

     
  • At 4:38 da tarde, Blogger herético said…

    beijo. saudades

     
  • At 1:32 da manhã, Blogger Dupa Jasia said…

    An' as for my bed, zoloft said Mr.. He ketched a frog one day, and took him home, and said he cal'lated to educate him; and so he never done nothing for three apap months but set in his back yard and learn that frog to jump.. 'Oh, well,' he says, 'let's wait lyrica and think about it...

     
  • At 12:51 da tarde, Blogger herético said…

    25 de Abril, Sempre!

    um beijo e ... um cravo vermelho!

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home