comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

quarta-feira, setembro 15, 2004

barc.bmp

Através da noite

Ela está exposta na sua frágil frescura
e um pouco mais longínqua e despojada.
Ele procura-a no cimo da montanha
ou numa vertente vertical. A noite é calma,
um barco atravessa o mundo. Junto de um rio
brilham chamas sem rumor. Dispersas
são as imagens e as vozes, mas reunidas
num outro mundo mais sereno e vagaroso.
Ele soletra a pedra nupcial e misteriosa.
Um grito rápido de pássaro atravessa a clareira.
Entre duas árvores cintila a Cassiopeia.
Passam esquivas sombras sob os ramos das árvores.

António Ramos Rosa

12 Comments:

  • At 11:57 da tarde, Blogger lique said…

    A magia da noite e das sombras que passam num belo e denso poema de António Ramos Rosa. Como sempre, enches-nos a noite de beleza, maria. Beijinhos.

     
  • At 12:04 da manhã, Blogger JPD said…

    olá maria

    Terei acertado se pensar que este poema inspirou a tua escolha para o nome do blog da Sapo?
    A poesia do Ramos Rosa é muito exigente.
    Este poema é muito bonito.
    Continuo a gostar imenso.
    Estás em forma, miga.
    Bjs

     
  • At 12:59 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Ai Maria que bom ler este poema belo, calmo e sonhador a esta hora;) Beijos:))*** wind

     
  • At 8:46 da tarde, Blogger M.P. said…

    Muito BONITO! Há uma PLENITUDE de Sentido e sentidos em cada verso! **

     
  • At 11:31 da tarde, Blogger maria said…

    E que bem capta essa magia António Ramos Rosa, lique!
    Beijinho grande, fica bem...:))

     
  • At 11:46 da tarde, Blogger maria said…

    Não própriamente Zézinho!A escolha de Cassiopeia para o blog do sapo, teve a ver com o meu fascínio pelas coisas do espaço, nomeadamente pela constelação cassiopeia, a mais potente fonte de rádio no céu...
    Beijinho...:))

     
  • At 11:48 da tarde, Blogger maria said…

    Ainda bem que te fez bem, Wind! Beijo grande e noite serena, amiga...:))

     
  • At 11:51 da tarde, Blogger maria said…

    Concordo inteiramente, MP! Aliás é essa plenitude (penso eu), que dá forma à maior parte dos poemas de Ramos Rosa, uma plenitude que que nos toca e nos limpa a alma, como se respirássemos fundo... Beijo... :))

     
  • At 1:35 da tarde, Blogger LetrasAoAcaso said…

    Gosto mt de ARR.
    Finalmente descobri-te.
    Desculpa-me Maria, mas eu sou muiiiiiiiiiiito distraído.

    Estou desculpado?
    Beijitos amiga.Meigos

     
  • At 5:40 da tarde, Blogger Márcia said…

    Ah, Maria, que poema lindo!
    Beijos por mais este.

     
  • At 6:22 da tarde, Blogger maria said…

    Não há nada a desculpar,Zé!Obrigada por vires, um beijo e bfs...:))

     
  • At 6:25 da tarde, Blogger maria said…

    Ainda bem que gostaste, Márcia! Beijinho deste lado do mar...:))

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home