comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

sábado, outubro 16, 2004

veleiro1.bmp

O NAVEGANTE

Quero um montão de tábuas e um motor de pano
Pra passear meu corpo e adormecer meu sono
Na esburacada estrada do oceano

Aportarei meu barco apenas de ano em ano
E onde houver silêncio eu ficarei cantando
Pra não deixar morrer o gesto humano

Entenderei as águas e os peixes passando
E se me perguntarem pra onde vou e quando
Responderei, apenas navegando, apenas navegando

Embarcarei comigo feminino encanto
Pra que não falte a vida quando for preciso
Uma razão mais forte que o espanto, mais forte que o espanto

Semearei meu sangue, meu amor, meu rosto
Pra que depois de mim eu possa estar presente
Entre as canções que eu não houver composto

Naufragarei um dia em pleno mar sem dono
E submerso em lendas como como um visitante
Entre os recifes dormirei meu sono

Sidney Miller

9 Comments:

  • At 11:50 da manhã, Blogger frog said…

    Olá! Belíssimo poema!...
    ...
    " Céu alto, além, eternidade//Céu largo, de infinita leberdade//Céu azul, sem sinal se amarguras//Céu onde pairam seguras//Bem longe da tempestade//Os sonhos e as loucuras//Que vencem as leis da gravidade"...

    Um beijo e bom fim de semana

     
  • At 5:38 da tarde, Blogger M.P. said…

    LINDO para um fim de tarde melancólico como o de hoje... A ideia de continuidade de pois do fim noutras paragens em procura de norte é a máxima porque nos devíamos reger nestas vagas altas da vida onde as ondas altas nos fazem cair em profundezas escuras sem salvação aparente... Bom fim de semana!**

     
  • At 6:47 da tarde, Blogger lique said…

    Que belo poema que nos faz ver o curso da vida de forma tão serena ... navegando. beijinhos.

     
  • At 10:08 da tarde, Blogger Márcia Maia said…

    Maria,

    passei o dia ouvindo discos antigos, inclusive os de Sidney Miller. Ouvi e reouvi essa canção, uma das que me é mais cara, a relembrar tempos bem antigos.
    Obrigada por essa bela surpresa de a encontrar aqui.
    Um beijo grande.

     
  • At 11:06 da tarde, Blogger LetrasAoAcaso said…

    Navegações em mares serenos. Espero que sejam os teus mares, Maria.
    Beijos, amiga

     
  • At 11:06 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Maria um lindíssimo poema, que nos dá uma calma estranha e nos faz pensar na vida;) Beijos:)** wind

     
  • At 1:44 da tarde, Blogger manuel said…

    retenho a estrofe do belo poema (sei que me vai habitar durante todo o dia ) : "semerarei meu sangue, meu amor, meu rosto/ para que depois de mim eu possa estar presente/ entre as canções que eu não houver composto"

    beijos! gostei muito, Maria!

     
  • At 9:32 da tarde, Blogger JPD said…

    Admirável navegação!
    Bjs

     
  • At 11:34 da tarde, Blogger maria said…

    A TODOS
    Muito obrigada pela visita que gostosamente retribuirei.
    A todos também uma óptima semana e a cada um, um grande beijinho...:))

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home