comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

terça-feira, outubro 05, 2004

douro3.bmp

Estou de volta e comigo a chuva de que tanto gosto…

No “meu” Douro, enchi os olhos da beleza com que o Outono, com a sua paleta de cores ímpar, pinta, socalco a socalco, as folhas das videiras agora despojadas de uvas, mas plenas de cor, numa generosidade única que vai para além da dádiva do fruto…
Depois, ao fundo, o rio, aguarela maravilhosa em que, como por magia, tudo se mistura, reflexo de céu e terra, flores e frutos, suores e cantares, abnegação e paz…
Mergulhando o olhar neste rio que os montes aconchegam no seu seio, lavei a alma e regressei mais forte…
Que venham agora mansamente a chuva, os poentes de névoa, as noites maiores e todos os aconchegos de que só as estações tristonhas alegremente são capazes…



chuva1.jpg


CHOVE!

Chove...

Mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove...

Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.

José Gomes Ferreira

5 Comments:

  • At 12:49 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Maria, tanto o que escreveste, como o poema de José Gomes Ferreira é algo de amor, a tua alma está a amar:) Que lindo;) O Douro (dizem) também ajuda...Bem voltada com estes belíssimos poemas e sensibilidade:-) beijos e bom resto de semana:)** wind

     
  • At 11:40 da manhã, Blogger lique said…

    No teu Douro... que saudades eu tenho de ir até aí! Porque adiamos as coisas boas da vida? Adorei o teu texto e o poema. Por aqui, amiga, o sol continua a brilhar! Beijinhos

     
  • At 9:40 da tarde, Blogger M.P. said…

    Benvinda! Foi bom vir aqui e ver-te de regresso! O Douro é Paraíso em qualquer altura do ano. Tenho entrado por esse Paraíso através da "Ferreirinha" de que não quero perder qualquer episódio!
    Qunato á escolha do poema foi óptima! José Gomes ferreira é um poeta especial! :)**

     
  • At 10:56 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Melhor ainda do que o teu regresso é a excelente forma que a edição deste post reflecte.
    Textos muitíssimo bons, equilibrados, a transbordar de emoção, sobretudo - corrige-me se estiver enganado - carregados de uma reconfortante nostalgia.
    Bjs

     
  • At 11:25 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    que belos tons doirados em teus olhos, Maria!
    que perfume a mosto antigo e a tóneis novos!...
    que saudades, Maria!

    beijos

    DonBadalo

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home