comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

sexta-feira, março 18, 2005

rosa.jpg

Motivo da rosa


Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.


Rosas verá, só de cinzas franzida,
mortas, intactas pelo teu jardim.


Eu deixo aroma até nos meus espinhos
ao longe, o vento vai falando de mim.


E por perder-me é que vão me lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

Cecília Meireles

6 Comments:

  • At 10:02 da tarde, Blogger JPD said…

    Olá maria

    Acreditas que quando li este excelente poema de imediato me ocorreu a construção camoniana?

    «É por perder-me é que vão me lembrando/...»

    Boa escolha!
    Beijinhos bom fim de semana.

     
  • At 6:42 da tarde, Blogger wind said…

    Para variar mais um lindo poema desta vez de Cecília Meireles de quem eu gosto tanto:-) beijos:))***

     
  • At 8:51 da tarde, Blogger M.P. said…

    Olá... Depois de ter lido este LINDO Poema, venho desejar-te um BOM fim de semana e dizer-te que fiquei MUITO contente de te ver de volta na minha "casa"! ;)**

     
  • At 10:09 da tarde, Blogger lique said…

    É no desfolhar das pétalas que mais se sente o aroma da rosa. Beijinhos, maria

     
  • At 9:16 da manhã, Blogger Márcia Maia said…

    Este poema é belo. Deixar aroma até nos seus espinhos, só Cecília poderia pensar assim. Beijo, Maria.

     
  • At 12:07 da tarde, Blogger manuel said…

    é bom colher a pétala e teu "perfume" que o "vento" traz...

    beijo, Maria

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home