comorosasdeareia

palavras...como "rosas de areia" ou "flores do deserto"...

quinta-feira, maio 05, 2005

tern.1.jpg


TERNURA

Puxo sobre os teus ombros o lençol
que é feito de ternura amarrotada,
da frescura que vem depois do Sol,
quando depois do Sol não vem mais nada...

Olho a roupa no chão: que tempestade!
Há restos de ternura pelo meio
como vultos perdidos na cidade
em que uma tempestade sobreveio...
Começas a vestir-te lentamente,
e é ternura também que vou vestindo
para enfrentar lá fora aquela gente
que da nossa ternura anda sorrindo...
Mas ninguém sonha a pressa com que nós
a despimos assim que estamos sós!

David Mourão-Ferreira

8 Comments:

  • At 6:01 da tarde, Anonymous zezinho said…

    E eu gostaria de puxar de palavras divinas para te cumprimentar e ao David.

    Beijinho Maria

     
  • At 12:29 da tarde, Blogger wind said…

    Belo como sempre os poemas de DMF. beijos:))**

     
  • At 10:31 da tarde, Blogger M.P. said…

    Olá, Maria! Linda escolha! Sou suspeita quando se trata de D. Mourão-Ferreira! Gosto muito da sua Poesia! :) Bom fim de semana! **

     
  • At 8:38 da tarde, Blogger Menina_marota said…

    Uma boa escolha este Poema de David Mourão Ferreira...
    E, a ternura é tão precisa...
    Abraço e uma boa noite de domingo :-)

    http://topocilgas.blogspot.com/

     
  • At 10:39 da tarde, Blogger lique said…

    Belas, sempre, as palavras de David Mourão Ferreira. Tem uma boa semana, Maria. Beijinhos

     
  • At 11:43 da tarde, Blogger JPD said…

    Olá maria!

    Pois não,maria.
    Sonhar assim, com tanta volúpia, só o DMF.
    Que sorte a nossa ter sido nosso contemporâneo.
    Bjs

     
  • At 9:58 da tarde, Anonymous Márcia said…

    Só ele, DMF, pra dizer tão belo assim.
    Beijo daqui, onde é outono e chove.

     
  • At 2:59 da tarde, Anonymous Andreia said…

    Alguem me pode fazer uma análise deste poema? é urgente :S obrigado e beijinhos a todos

     

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home